Laboratório de Genética de Plantas

Para otimizar o crescimento e o desenvolvimento, as plantas, sendo organismos fixos, precisaram desenvolver uma gama de mecanismos eficientes para perceber e responder adequadamente a condições sempre flutuantes do meio ambiente. A produção de açúcar pela fotossíntese depende primeiramente do acesso a luz. Estes açúcares derivados da fotossíntese representam importantes sinais que em combinação com sinais do desenvolvimento ou outros "inputs" do meio ambiente, tal como a nutrição mineral, a disponibilidade de água ou o ataque de patôgenos, influenciam o uso das reservas energéticas para garantir a sobrevivência e a propagação. A interação entre sinais do desenvolvimento, hormonais e açúcares representa um aspecto central do controle do crescimento e conseqüentemente da produção de biomassa. Os mecanismos moleculares responsáveis para comunicação cruzada entre estas diferentes vias de sinalização, assim como a diversificação destes mecanismos em plantas, ainda precisam ser elucidados de maneira mais precisa para entendermos melhor os padrões de crescimento e a produção de biomassa.

A principal linha de pesquisa do LAGEP visa desvendar novos aspectos dos mecanismos da transdução de sinal por açúcares em plantas. Mais especificamente, pretendemos: 1) Definir a diversificação dos programas de expressão gênica regulados por glicose e saccarose em angiospermas (cana de açúcar, arroz e Arabidopsis thaliana); 2) Avaliar e descrever o controle da estabilidade de mRNAs por glicose; 3) Caracterizar as funções de fatores da transcrição do tipo bZIP que mediam processos relacionados a glicose; 4) Obter novas informações sobre a sinalização por manose. Antecipamos que os dados deverão melhorar nossos conhecimentos sobre a sinalização por açúcares e a homeostase energética em plantas, e os resultados serão integrados em bancos de dados que poderão que beneficiariam projetos de pesquisa relacionados à biomassa e bioenergia.